Treinamento comportamental

Gatos e emoções

Gatos e emoções

A questão de saber se os gatos sentem emoções se tornou um tópico muito debatido entre behavioristas e cientistas felinos. As opiniões sobre se e como os animais experimentam emoções mudaram nas últimas décadas, e a maioria dos guardiões de gatos não precisa de um estudo científico para dizer que seus gatos sentem emoções: tudo o que precisam fazer é olhar nos olhos de seus companheiros felinos para saber além da sombra de uma dúvida que eles fazem. Como os gatos expressam emoções de maneiras diferentes das dos seres humanos, ser capaz de ler e interpretar emoções felinas é a chave para entender melhor os gatos e para prevenir e corrigir problemas de comportamento.

A ciência olha a emoção felina

O tópico das emoções nos animais é controverso na ciência porque as emoções são difíceis de quantificar. No entanto, estudos recentes mostraram que o cérebro felino funciona de maneira muito semelhante ao cérebro humano. Isso apóia a noção de que, mesmo apenas com base na fisiologia, é razoável supor que os gatos sintam emoções.

Já no século XIX, Charles Darwin descobriu que há uma continuidade emocional e cognitiva entre humanos e animais. Pesquisas mais recentes determinaram que os gatos sentem emoções básicas, como amor, medo, tristeza e felicidade, da mesma maneira que os humanos. No entanto, pode ser impossível examinar a emoção de um ponto de vista puramente científico, e alguns pesquisadores reconhecem que podemos precisar antropomorfizar (atribuir traços humanos) até certo ponto ao discutir emoções animais.

Como os gatos comunicam emoções

Os gatos utilizam a linguagem corporal como principal meio de comunicação. Algumas dessas comunicações são óbvias, outras são mais sutis. Os olhos, orelhas, cauda e até o pelo de um gato oferecem pistas para seu estado emocional.

Os gatos respondem a vozes suaves e carinho, e podem até devolvê-lo esfregando a cabeça contra a mão ou rolando de lado. Essas demonstrações mútuas de afeto apóiam a noção de que os gatos demonstram emoção. Os gatos também estabelecem relações estreitas com outros gatos, como pode atestar qualquer guardião de gatos que tenha visto seus gatos se arrumar amorosamente.

Gatos também mostram emoções negativas, como apreensão, medo e raiva. Estes também são expressos com mais frequência pela linguagem corporal: as orelhas do seu gato podem se mover contra a cabeça, os olhos podem se estreitar ou o pêlo pode ficar inchado (também conhecido como piloereção).

Gatos são extremamente sensíveis às emoções humanas. Eles parecem saber intuitivamente quando seus humanos precisam de carinho, mas também percebem o estresse ou a raiva de seus guardiões. Estudos mostraram que o estresse humano pode realmente tornar os gatos doentes.

O luto é outra questão amplamente debatida quando se trata de gatos e emoções. Os gatos sofrem depois de perder um companheiro? Embora não tenhamos como saber ao certo como os gatos percebem a morte, há muitas evidências de que os gatos realmente choram seus companheiros perdidos, tanto felinos quanto humanos. Parece razoável supor que, se algo entristecesse os humanos, também afetaria os gatos de maneira semelhante. O Projeto de Luto por Animais Companheiros da ASPCA (1996) mostrou que um número significativo de gatos perdeu o apetite, tornou-se mais afetuoso ou "pegajoso" com seus responsáveis, ou mudou hábitos de longa data, como onde dormia depois de perder um companheiro.

Os guardiões do gato precisam estar cientes e sintonizados com as emoções de seus gatos. Isso não apenas aumentará a compreensão entre as espécies, como também fortalecerá o vínculo entre gato e humano, além de garantir uma vida feliz e livre de estresse para ambos.

(?)

(?)