Clínica de cuidado de animais domésticos

Os peixes falam: Termos comuns sobre peixes são definidos

Os peixes falam: Termos comuns sobre peixes são definidos

Sempre que você busca um novo interesse, é importante aprender a terminologia usada por entusiastas experientes, e é melhor fazê-lo antes de tomar qualquer decisão ou compra. Para configurar e manter com sucesso um aquário e seus residentes, é importante um conhecimento básico dos termos do aquário e dos peixes. Isso o ajudará a conversar com outros entusiastas, o pessoal da loja de aquários e a entender livros e referências. Este artigo definirá termos básicos de meio ambiente, química da água, anatomia, doenças e equipamentos. À medida que sua experiência cresce, você deseja consultar referências mais especializadas.

MEIO AMBIENTE

Todo mundo sabe que os peixes são encontrados em todo o mundo e em uma variedade de climas. Peixes de climas e condições de água semelhantes geralmente vivem felizes juntos. Alguns não devem ser combinados devido às diferenças extremas em ambientes naturais.

  • Água fresca. Peixes de água doce são aquelas espécies encontradas em corpos d'água, como lagos e rios. A água de seus habitats naturais contém pouco ou muito pouco sal dissolvido.
  • Água salgada. Este termo refere-se aos peixes naturais da água do mar e dos oceanos. A água contém quantidades apreciáveis ​​de sal dissolvido. Os peixes de água salgada devem ter seu ambiente natural duplicado no aquário.
  • Marinho. Marinho é um termo que define o ambiente oceânico e seus habitantes. É frequentemente usado de forma intercambiável com "água salgada".
  • Salobra. Salobra refere-se ao tipo de água que ocorre onde a água doce começa a entrar em contato com a água do oceano. Tem um teor de sal mais alto que a água doce, mas menor que a água do mar. Muitas vezes, pode parecer muito escuro e escuro.
  • Peixe tropical. Estes peixes vêm de climas quentes, onde as temperaturas da água variam de 68 a 80 graus Fahrenheit. Existem peixes de água doce tropical e de água salgada tropical.
  • Temperado. Peixes temperados preferem água de temperaturas mais baixas, geralmente entre 45 a 65 graus F.
  • QUÍMICA DA ÁGUA

    Olhar para um aquário sem peixe não é tão divertido, mas você ficaria surpreso com o número de reações químicas e biológicas que ocorrem a cada segundo. A água é muito dinâmica e muitos fatores influenciam sua qualidade. A qualidade da água é a principal preocupação de qualquer aquário.

  • pH. O pH é uma medida que indica se a água é ácida, alcalina ou neutra. A escala de pH varia de 1 a 14, sendo 1 a 6 considerado ácido, 7 considerado neutro e 8 a 14 considerado alcalino. O pH de um aquário é influenciado por vários fatores, como resíduos orgânicos, cascalho, decorações naturais, medicamentos, etc. Os peixes evoluíram para viver em uma ampla faixa de pH, alguns com necessidades mais sensíveis que outros.
  • Dureza. Dureza é um termo que descreve a quantidade de sais minerais dissolvidos na água. O cálcio e o magnésio compõem a maioria desses sais e são diferentes do sal do cloreto de sódio na água do mar. Os valores de dureza são comparados em uma escala de 0 a 400. Zero a 50 é considerado água macia, 50 a 200 levemente dura e 200 a 400 é água dura. Devido às contínuas reações químicas entre a água, o cálcio e o magnésio, a dureza total da água pode influenciar seu pH e outros aspectos da qualidade da água.
  • Ciclo de nitrogênio. O ciclo do nitrogênio é o processo pelo qual o lixo orgânico é decomposto pelas bactérias benéficas existentes no seu aquário. Essas bactérias são a pedra angular de um aquário saudável.
  • Salinidade. Salinidade refere-se à quantidade de cloreto de sódio dissolvido na água. A salinidade varia em diferentes corpos de água e pode ser medida como gravidade específica.
  • Gravidade Específica. A gravidade específica compara a quantidade de sal na água com a da água doce. Água doce, sem sal, tem um valor de 1.000. O valor da água salgada varia de 1,015 a 1,030 na maioria dos ambientes marinhos.
  • ANATOMIA

    Os peixes têm uma anatomia única e ajuda a saber algumas coisas sobre suas partes. Muitas vezes, você pode fazer determinações de saúde observando sua aparência geral e também reconhecer doenças nos órgãos que não pode ver.

  • Brânquias. Os peixes respiram extraindo oxigênio através de suas brânquias. Eles devem ter um belo rosa avermelhado saudável. Uma variedade de parasitas se liga às brânquias, por isso é uma boa ideia verificar as brânquias dos peixes antes de comprar.
  • Opercula. A placa óssea que cobre as brânquias é chamada opérula. É uma ótima maneira de monitorar as respirações. Contar quantas vezes o opérculo entra e sai é igual ao número de respirações. As respirações rápidas geralmente significam estresse, falta de água ou doenças.
  • Canal da linha lateral. A linha lateral é uma série de pequenas cavidades sob a pele, responsáveis ​​pela detecção do som transmitido como pressão e pode ter uma função elétrica fraca em algumas espécies.
  • Bexiga de natação. A bexiga natatória funciona como um órgão de flutuação e pode ser inflada ou desinflada com o ar. As doenças da bexiga natatória são freqüentemente observadas no comportamento irregular da natação de um peixe.
  • DOENÇA

    Os peixes sofrem de uma variedade de doenças causadas por parasitas, vírus, bactérias e fungos. Muitos são comuns e você deve aprender a reconhecer indivíduos infectados para evitar a compra de um peixe doente ou removê-lo do seu aquário.

  • Ich. Ich é a forma abreviada do nome de um parasita externo chamado Icthyophthirius multifilis. Quase todo mundo que compra ou cria peixe já viu um caso de ich. Os peixes desenvolvem pequenas manchas brancas levantadas que são irritantes e causam coceira.
  • Rotação de barbatana ou cauda. As barbatanas de peixe devem parecer fortes e saudáveis, com margens regulares e sem defeitos ou feridas. A podridão das barbatanas faz com que as barbatanas pareçam irregulares e você pode ver pequenas hemorragias ou contusões nas barbatanas. Essa condição geralmente é causada por uma infecção bacteriana que pode ser fatal. Os indivíduos afetados devem ser removidos e tratados em um tanque do hospital.
  • Doença da bexiga natatória. A bexiga natatória pode ficar infectada ou inflamada e causar um padrão de natação irregular. Os peixes podem ser incapazes de controlar sua flutuabilidade e até nadar de cabeça para baixo.
  • EQUIPAMENTO

    O número e os tipos de tanques e equipamentos disponíveis para a instalação de aquários são limitados apenas pelo seu orçamento. Inicialmente, comece com um tanque simples com equipamento básico até aprender mais sobre seu hobby e necessidades específicas de seu peixe. Os suprimentos básicos incluem:

  • Tanque. Os tanques variam em tamanho de 1 galão a vários milhares de galões. Um bom tanque para iniciantes é de 10 a 30 galões. Compre um modelo que seja mais comprido do que alto, ele dará aos peixes mais área de superfície e piscina.
  • Filtro. Este é o sistema que purifica a água e tem a maior variabilidade de tipo e custo. Um filtro sob cascalho é um bom começo básico. Ele fica no tanque sob o cascalho e passa por uma pequena bomba. Um filtro externo limpa a água por meios biológicos, químicos e mecânicos. Compre um filtro grande o suficiente para acomodar seu tanque.
  • Aquecedor. Se você estiver mantendo peixes tropicais, precisará de uma maneira de manter uma temperatura constante do tanque. Os aquecedores devem ser grandes o suficiente para acomodar o número de galões de água que o tanque aguenta.